jump to navigation

Vazameto na Bacia de Campos – Antes tarde do que nunca 22/11/2011

Posted by Afauna Natal in Fiscalização Ambiental, Ibama, Notícias.
trackback

Fonte: Tijolaço.

Era assim o plano dos executivos da Chevron para recolher o petróleo?

O diretor geral da ANP, Haroldo Lima, aparece   hoje dizendo que a Chevron-Texaco, além de multada, pode ser impedida de continuar a operar no Brasil, pelo erro grosseiro (e de ganaciosa imprudência) e pela criminosa omissão de informações que prolongou a duração do que já era desastroso.

Muito bom que o responsável pelo órgão fiscalizador tenha, finalmente, adotado uma postura pública firme e severa sobre o assunto. E que a ANP, que está toda hora nos jornais criticando a Petrobras, tenha descoberto que a Chevron não tinha condições nem equipamento para autar em situações de emergência e dependeu de empréstimo de submarinos da estatal brasileira.

Depois de dez dias em que a ANP não deu informações públicas e só muito discreta e vagamente se pronunciou sobre o caso, é muito bom que tenha assumido outra postura.

Diz o sr. Haroldo Lima que “eles mitigaram (isto é, no popular, mentiram) informações importantes sobre o vazamento e esconderam fotos que mostravam a real proporção do acidente”.

Bom, o sr. Lima tem razão. Mas a ANP não as exigiu publicamente. Não requisitou – ou se requisitou não o anunciou e nem reclamou não ter recebido – o diário de perfuração e os relatórios de cimentação do poço.

Nem mesmo a profundidade em que o poço se encontrava veio a público pela ANP, e só ficou sendo conhecida quando Charles Buck, o presidente da Chevron, na noite do dia 18, reconheceu que houve uma elevação súbita de pressão no poço – um “kick” – e que o petróleo subiu pelo vão anular, entre a parede do tudo e a da rocha perfurada abrindo fendas na camada rochosa superficial, por onde o petróleo “brotou”.

A informação do “kick”, na véspera da aparição da mancha de óleo, que tem necessariamente de estar registrada no diário de perfuração e o fato de só haver vedação por cimentação na fase superior do poço são informações que, somadas, já indicariam a origem do vazamento e a necessidade de tamponar a sua parte inferior.

Que diferença de comportamento se comparado ao do delegado Fábio Scliar, da Polícia Federal, que botou a boca no trombone e fez toda a imprensa se mexer e publicar informações sobre o caso!

Aliás, só depois que ele falou a imprensa e até os ambientalistas resolveram atuar.

Porém, antes tarde do que nunca, não é?

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: