jump to navigation

A Revolta dos que Reclamam e a Pressão dos que Agradecem 16/02/2012

Posted by Afauna Natal in Meio Ambiente Urbano.
trackback

Fonte: Site do Fiscal de Posturas.

Reclama o dono da loja, que teve a placa apreendida. O cadeirante e o idoso agradecem a calçada desobstruída.

Reclama o ambulante, que teve a mercadoria apreendida. O comerciante, que paga seus tributos, agradece.

Reclama o dono de bar, que teve a aparelhagem de som apreendida. Agradecem os moradores pelas noites sem perturbação.

Reclama o empresário, independente de micro ou de grande porte, que, obrigado a cuidar dos próprios resíduos, precisa abrir mão de parte do seu lucro. Agradece a comunidade por ter respeitado o seu direito meio ambiente ecologicamente equilibrado.

Reclama o proprietário, que teve a obra embargada. Agradecem seus vizinhos, aliviados do risco aos seus imóveis e, às vezes, à própria vida.

Reclama o proprietário de terreno, que vai pagar o preço da capinagem oficial. Agradecem os que se livraram dos animais peçonhentos, dos mocós de bandidos, do risco de dengue num raio de 3 km.

Reclama o transportador, cujo veículo não foi autorizado a levar crianças. Agradecem os médicos, que não acorrerão à emergência dos hospitais.

Entre os que reclamam e os que agradecem ficam os Fiscais de Posturas.

Não somos justos, não somos perfeitos. Podemos até parecer truculentos Aliás, nem nos questionamos sobre a justiça ou a equidade das nossas ações, só cumprimos as leis, acatamos as ordens.

Aos que reclamam, publicamente, pedimos desculpas. Depois da décima apreensão, embargo, interdição, intimação, notificação, multa ou lacração, ficamos mais “duros”, “insensíveis”, mais “autoritários”. Nós até que queríamos endurecer, sem perder a ternura. Mas, não dá!!!

Assim, não pedimos “com licença, levarei sua placa”, muito menos “por favor, abaixe o volume”. E não nos dirija impropérios e xingamentos ou tente retomar o que foi apreendido… desacato e exercício arbitrário das próprias razões são condutas ilícitas e nós podemos levar isto adiante.

Nós simplesmente apreendemos e deixamos à sua disposição o material apreendido para que você o retome. Tudo o que fazemos respeita o devido processo legal, não há lugar para arbitrariedades. No máximo, podemos ser discricionários, em algumas e especiais situações elencadas em lei.

Nós continuaremos com o nosso dever de ofício, mesmo que você cause danos ao patrimônio público danificando viaturas, ameace, lastime, grite, xingue ou, irracionalmente, nos agrida física ou moralmente.

Assim, ainda que alguns reclamem, muitos outros só têm a agradecer e nós, Fiscais de Posturas, continuaremos executando um trabalho, a serviço dos que agradecem e apesar dos que reclamam. Todos atores da mesma cena.

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: