jump to navigation

Natal/RN – Guarda Municipal tenta impedir acesso do ex-Prefeito Carlos Eduardo ao Parque da Cidade 17/02/2012

Posted by Afauna Natal in Guarda Municipal do Natal, Notícias, Semurb.
trackback

Fonte: No Minuto.com.

Os agentes disseram ter tomado essa atitude por determinação do secretário municipal de Meio-Ambiente e Urbanismo, Bosco Afonso.

Por Gerlane Lima

O ex-prefeito Carlos Eduardo (PDT) foi surpreendido na tarde desta quinta-feira por uma ação inusitada de agentes da Guarda Municipal. Tudo aconteceu quando ele se dirigiu ao Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte para gravar no local imagens para uso em inserções do seu partido na TV. Idealizador do Parque, Carlos Eduardo sofreu uma tentativa de coação por parte dos agentes, que disseram ter tomado essa atitude por determinação do secretário municipal de Meio-Ambiente e Urbanismo, Bosco Afonso.

Os guardas municipais, primeiro, tentaram impedir a entrada do ex-prefeito. Carlos Eduardo ainda ponderou aos agentes que o acesso ao Parque é público. Não adiantou. Alegando estar “cumprindo ordens” para não permitir nenhuma gravação na área do Parque, eles insistiram no veto ao ingresso do líder estadual do PDT.

Diante do relato dos agentes, foi a vez de Carlos Eduardo não aceitar a imposição. Ele não apenas continuou no Parque, como cumpriu todo o roteiro de gravação estabelecido pela equipe de marketing do PDT.

Ao encerrar a sessão, Carlos Eduardo se viu diante de seis viaturas da Guarda Municipal, sendo dois carros e quatro motocicletas. Todas elas acionadas para expulsá-lo do Parque da Cidade. Por orientação do secretário Bosco Afonso, conforme relataram os guardas.

“Esta é uma situação absurda, pois o Parque da Cidade é aberto a toda e qualquer pessoa que quiser visitá-lo. Não posso aceitar esse tipo de truculência somente por eu ser adversário político do grupo que hoje está à frente da administração da cidade”, protestou o ex-prefeito, que vai analisar a ideia de tomar medidas jurídicas para apurar responsabilidades pelo ato dos guardas municipais.

EM TEMPO

Se confirmada essa história, estamos diante de um fato grave e que merece o repúdio de toda a sociedade. Vivemos em um estado de direito. Ninguém será privado de direitos e deveres salvo por força de Lei.

O Sr. Bosco, como jornalista, conhece bem sobre liberdades e deveria ser o primeiro a defender o direito de liberdade de expressão, mesmo que de um adversário político.  Isso se chama L I B E R D A D E.  Foi para garantir isso que muitos morreram durante a ditadura e a sociedade não pode permitir que nenhuma ditadura nos diga o que fazer, seja ela militar, civil, verde ou vermelha.  Particularmente, quero acreditar que houve um mal entendido com ordens despachadas à Guarda Municipal.

O Sr. Carlos, por já ter sido Prefeito dessa cidade, deveria saber que, embora se trate de um espaço público, existem certas formalidades que devem ser seguidas.  É só uma questão de bom senso e respeito.  Cumprida as formalidades e negado seu acesso ao parque, haveria um motivo para um fato político e um culpado para acusar.  Mas não assim, de forma genérica: os guardas! Eles apenas cumpriram ordens, quem sabe com certo prazer, como um desabafo pelo descaso e pouca importância com o que o seu governo os tratou durante seis anos (essa afirmação é minha, acho pouco provável que isso tenha passado na cabeça de algum guarda, visto a seriedade e o profissionalismo dessa corporação), muito embora a atual gestão também seja uma madrasta, a la Diabolin, para Guarda Municipal.

Os guardas municipais envolvidos nessa ação, pelos anos de caminhada, pela formação, pela seriedade e profissionalismo com que encaram o dia a dia da corporação, deveriam saber que ordens absurdas não podem ser cumpridas sem questionamentos.  Uma instituição com a história da Guarda Municipal não se pode dar a luxúria de ser instrumento político de A ou B.  Espero que esse episódio e sua repercussão sirvam como reflexão para um novo amadurecimento.  Até porque um ex ainda pode ser o futuro.

Repito, se confirmada essa informação, a AFAUNA lamenta profundamente o ocorrido e conclama a sociedade a repudiar todo e qualquer movimento ditatorial, de censura ou tentativa de utilizar corporações públicas como a Guarda Municipal ou corpos de fiscalização para prestar ao papel de polícia política como nos tempos da ditadura.

A liberdade é um bem muito precioso que poucos sabem o quanto ela vale e lamentam ao descobrir seu real significado quando a perdem.

Evânio Mafra
Coord. Jurídico da AFAUNA

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: